A História

Eles dão formas às ideias
e imprimem inovação

De uma pequena casa de madeira no Guanabara para uma das maiores e mais qualificadas empresas de comunicação visual do Sul do País. Esta é a Formas Comunicação Visual, hoje situada em uma ampla estrutura no bairro Floresta. Fundada em 13 de setembro de 2000, a empresa nasceu da experiência e dedicação incondicional de Luiz Carlos Rocha Junior, que sempre esteve envolvido com a área, e da determinação de Roberta Buss Rocha, sua esposa.

Com 14 anos, Júnior já trabalhava como pintor-letrista. Ao Logo do tempo, atuou na área comercial, vendendo produtos para comunicação visual, até ser encarregado da área de decoração de embalagens plásticas. Em 1995, na empresa Inplavel, Júnior perguntou ao dono se ele compraria seus fotolitos, caso decidisse trabalhar também em casa. O dono aceitou e Júnior passou a atender a Inplavel, mesmo continuando como funcionário da empresa durante o dia. Ele conta que um tio que trabalhava na Tupy sugeriu que ele fizesse a identificação visual da fábrica. Júnior aceitou o serviço e trabalhava à noite.

Em 1997, Júnior abriu seu próprio negócio em sociedade com o tio. Estava criada a Contato Comunicação Visual. Pouco mais de dois anos depois, houve a dissolução da sociedade. Júnior e Roberta ficaram com as máquinas e as dívidas, mas também com a cara e a coragem. Acreditavam no negócio. Venderam o carro para pagar as dívidas e foram morar em uma casa alugada no Guanabara. Dividiam espaço com as máquinas. Nascia a Formas. Júnior saia de ônibus vendendo seu trabalho e à noite cuidava da criação e editoração. Roberta trabalhava nas máquinas. O espaço já estava pequeno demais. A Formas, então, mudou-se para uma casa alugada no bairro Boa Vista. No início, tinha três funcionários e ocupava 200 metros quadrados e, ao final de 12 anos, já ocupava 900 metros quadrados e contava com 60 funcionários. Os sócios decidiram que era hora de dar mais um passo. Compraram a sede própria.

Hoje, a empresa conta com maquinário de última geração para confecção de todas as formas de comunicação, como adesivos, decoração, displays, totens, expositores, fachadas, letra caixa, painel, personalização de frota, sinalização e tapume. Além disso, conta com um setor de projetos especiais, que cria elementos arquitetônicos de teto, por exemplo. Shoppings e a rede de lojas Havan são alguns dos clientes.

“Nunca copiamos nada de alguém e não nos preocupamos se alguém nos copia. Buscamos fazer o nosso trabalho bem feito”, complementa a diretora Elizete Marquez.